BLOG

Conteúdo para seu desenvolvimento

 

As três formas que as pessoas reagem às mudanças

Assunto: Geral

14/09/2016
Comentários: 2

As três formas que as pessoas reagem às mudanças

Mudanças

Você pode ser não-ativa, reativa ou proativa? Como assumir as mudanças inevitáveis.Uma das atividades do Coach é ajudar as pessoas a passar por momentos difíceis da vida por meio do Life Coaching

Uma das atividades do Coach é ajudar as pessoas a passar por momentos difíceis da vida. Esta forma de coaching se chama Life Coaching ou Coaching de Vida.
 
Se temos uma certeza, esta é que: tudo muda o tempo todo, e mesmo assim temos as nossas dificuldades, para administrar estas situações. Não podemos alterar estes acontecimentos, porém, podemos mudar nossa forma de encarar as mudanças.
 
Segundo a especialista comportamental Colette Carlson, mesmo depois de adultos, a maioria das pessoas não escolhe as mudanças. Somos tão acostumamos com nossas rotinas, vidas, amigos, prato predileto e até o caminho que escolhemos para ir para casa, que qualquer desvio de caminho, pode causar uma certa frustração, medo ou estresse. Claro que preferimos a segurança do conhecido, mas a mudança é inevitável, e nossa reação a ela que determina se o resultado é bom ou ruim.
 
Como você reage a uma situação difícil?  Por exemplo: o País está em crise e há muitos cortes de pessoal na empresa onde você trabalha. A possibilidade de você estar na próxima lista de corte é grande. Geralmente as pessoas podem reagir de três formas às mudanças:

• Ser não-ativo.
Você sabe das possibilidades, porém acredita no seu taco, e está convicto de que jamais lhe mandariam embora. Você continua com sua vidinha legal, se importar com isso. Estas pessoas resistem à mudança e escolhem permanecer na negação. Se eu ignorar o assunto, ele não existe. Ou elas assumem uma atitude de vítima, do tipo: não é justo, porque eu? Em qualquer uma das situações a pessoa não sai do lugar, e prefere esperar ver para crer.

• Ser ativo.
Você começa a refazer seu curriculum e entrega em todas as empresas de recolocação que conhece. Esta pessoa não tem todos os fatos reais necessários, porém decide eliminar suas preocupações e estresse, o mais rápido possível. O pânico o faz aceitar a primeira vaga que aparecer e na semana seguinte está com um novo emprego, porém com uma vaga que não atenda às suas habilidades e talentos.

• Ser Proativo e positivo.
Há alguns meses atrás a situação política e econômica já demonstrava dificuldades, você avaliou a sua situação na empresa. Caso a demanda para a sua empresa diminuísse, você poderia ser demitido, porque você faz parte da operação, e quando tem pouco trabalho, cortam na produção, ou você está justamente em uma das posições de maior remuneração da empresa, por estar trabalhando há muito tempo nela, e sabe que há outras pessoas mais jovens, com menos experiência, porém dispostos a fazer seu trabalho, por um terço do salário. Você começa a fazer uma reserva financeira e cortar os supérfluos e se matricula em um curso de atualização na sua área, ou outra área de seu interesse. Caso não for demitido, poderá tentar uma promoção para outra área, e caso realmente seja desligado, estará melhor preparado para encarar a concorrência. Estas pessoas focam naquilo que elas podem fazer, numa saída positiva, e tomam iniciativa.

É óbvio que o ideal é ser uma pessoa proativa, porque desta forma você se sente mais no controle da situação. Quanto mais controle sobre a situação nos sentimos, menor serão o estresse, e a frustração geradas.

Isso vale para qualquer situação, como: a reestruturação de uma carreira, um divórcio, emagrecer, entre outras. Quando nós assumimos o controle sob a mudança, a jornada se torna mais confortável e os resultados serão mais recompensadores.

Isso parece mais fácil dizer do que fazer, pois como vamos dominar o nosso medo e evitar que perdemos o controle da situação?

• Primeiro temos que aceitar que as mudanças fazem parte da vida.
Nada existiria se não houvesse mudança, é inevitável. Tudo tem um início, meio e fim.

• Aceite suas emoções. Diga a verdade para si mesmo e assume seus sentimentos: medo, ansiedade, pânico, ou o que quer que seja. Libere estes sentimentos conforme aparecerem, (por meio do choro, grito, socando um saco de boxe) liberte-se de toda esta energia. Seja paciente, porque pode levar um tempo para processar e se adequar à mudança. Quando pulamos este passo, muitas vezes isso pode retardar todo o processo de superação. Portanto respeite seus sentimentos.

• Resignifique a situação, para conseguir enxergar o lado positivo. Se for mandado embora, irá receber as verbas recisorias, quantas coisas poderia fazer com isso? Saindo da empresa, você poderá se dedicar a algo que sempre sonhou em fazer, ou mudar de ramo, porque afinal você já estava afim de fazer isso mesmo.

• Necessidade de Ação. Porque, afinal, são as decisões e não as condições que determinam o seu caminho. Quando decidimos ir adiante e ter fé no processo, estaremos focando naquilo que está disponível. Pesquisando o mercado e o quanto você está valendo nele, você perde o medo e acreditará que tudo dará certo para você.

Minha experiência pessoal:  Como as mudanças são constantes, eu apostei em mim. Mudei radicalmente de ramo de atividade, investi em qualificação, uma nova área de interesse, e depois do término de um contrato com prazo determinado, me permiti sentir o luto da saída da empresa.  Chorei um dia inteiro. De felicidade por ter tido a oportunidade de ter trabalhado na empresa, por gratidão de ter conhecido muitas pessoas maravilhosas e aprendido muito. A sensação de liberdade, realização e infinitas possiblidades no entanto, não tem preço. Quando continuamos com fé de que tudo em nossas vidas, eventualmente mudará para melhor, isso realmente acontece. E hoje vivo daquilo que me realiza, que é o coaching.

Quando você se permite a mudar, você continuará se transformando na pessoa que você foi destinada a ser. Da próxima vez que você estiver evitando a mudança, se pergunte o que isto está lhe custando. Se pergunte o que acontecerá em cada área sua vida, caso você se recusar a mudar.
 
Simone Dankfort
Coach de transição de vida

www.xdankfort.com


Tags:

Life Coaching, Coaching transição de vida, Admintração de conflitos, Autogestão, Planejamento de carreira, transição




COMENTÁRIOS

Veja o que falam sobre isso

As trs formas que as pessoas reagem s mudanasup

01 outubro 2016

Everardo Braga

Parabns, super bom . ( Leitura veio na hora certa )

Everardo Braga

14 setembro 2016

Arnon Bruno

Excelente iniciativa! Parabns!!

Arnon Bruno


« primeira   « pgina anterior |   prxima pgina »   ltima »

Deixe aqui seu comentário!



BeeBrain - Uma combinao de entretenimento & aprimoramento de equipes

Artigos do Blog

26 março 2018
17 janeiro 2018

Qualidade de vida nas organizações

O que as organizações tem feito para melhorar a qualidade de vida, para quem trabalha nela? E mesmo quando ela tem feito muito, porque que você continua insatisfeito? Você tem acertado nas busca por um novo emprego?

ler mais

27 outubro 2017
12 julho 2017
03 julho 2017
28 junho 2017